Arquivos do Blog

Compostagem – Parte 1

O que é Compostagem?

 

Já ouvimos falar neste termo algumas vezes, mas nem sempre nos atentamos ao que realmente é! Se a sua casa e/ou o local onde você reside acumula muito lixo, seguem algumas informações de como minimizar o lixo orgânico, produzir material orgânico para hortas e jardins.

Compostagem é o método usado para potencializar o processo natural de decomposição e, assim, transformar materiais orgânicos – qualquer coisa desde esterco e espigas de milho até grama e papel usado – em composto orgânico, um material com aparência de húmus que traz grandes benefícios ambientais. Em áreas verdes, as folhas e galhos que caem no chão da floresta formam uma cobertura úmida e rica em nutrientes que protege as raízes e serve de lar para organismos que têm importância fundamental na reciclagem que ocorre na natureza: as minhocas, os insetos e um sem-número de microorganismos e bactérias. Durante a compostagem, essas criaturas usam a matéria-prima que nós fornecemos como alimento, desprendendo vapor d’água, calor e dióxido de carbono. Havendo o controle adequado do ar e da umidade, o processo de compostagem pode transformar grandes quantidades de matéria orgânica em composto orgânico num espaço de tempo relativamente curto. Um bom exemplo em pequena escala é um monte de composto orgânico num quintal. Materiais de origem vegetal ainda verdes (grama, sobras de vegetais de cozinha e restos de podas de flores) misturados a outros já secos (ramos, folhas secas e papel toalha usado), numa proporção de 1:3, fornecem um equilíbrio de nitrogênio e carbono que ajuda os micróbios a decompor eficientemente esses materiais.

A compostagem pode reaproveitar uma quantidade substancial de resíduos que iriam para aterros ou incineradores. É um complemento às formas tradicionais de reciclagem. Mas a compostagem não é usada apenas para a redução de volume ou como sistema de reaproveitamento. De muitas formas, a compostagem fecha o ciclo da reciclagem e contribui positivamente com o meio ambiente. A compostagem recicla os resíduos orgânicos e os devolve ao solo, aumentando a sua fertilidade, ajudando no controle da erosão, restaurando alagados e purificando a terra através da correção ecológica do solo.

Em um recente estudo realizado na Califórnia, verificou-se que a adição de materiais compostáveis à coleta de materiais recicláveis aumentou os índices de reaproveitamento de 16% para 58%. Em um estudo similar realizado em Connecticut, a adição de materiais compostáveis aumentou os índices de reaproveitamento de 40% para 70%.

A compostagem é um tipo de reciclagem e é considerada como tal pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA). A compreensão pública da compostagem começa nos quintais, onde milhões de pessoas fazem compostagem doméstica para reduzir a quantidade de material que segue juntamente com os resíduos sólidos na coleta municipal. Muitos recipientes são financiados pela própria comunidade. A compostagem é essencial para que sejam alcançadas as rigorosas metas de reciclagem estabelecidas pelo governo. Atualmente, cerca de 25 estados consideram a compostagem feita nos quintais como reciclagem, e 15 contabilizam normalmente a compostagem de resíduos sólidos em suas metas estaduais de reciclagem. Isso continuará a aumentar porque a compostagem pode ser usada para reciclar uma grande fração da produção municipal de resíduos sólidos. A adição da compostagem à reciclagem tradicional pode fazer com que haja o reaproveitamento de forma benéfica de aproximadamente 70% dos resíduos em vez de jogá-los fora como é feito na coleta tradicional.

A EPA estabeleceu uma hierarquia para o gerenciamento de resíduos sólidos que tem como prioridade número um a redução de fontes geradoras de resíduos, seguida pela compostagem/reciclagem, recuperação energética e aterros sanitários. Em Challenge for the 90’s (1991), de autoria da EPA, a compostagem é apontada como peça-chave no reaproveitamento de resíduos orgânicos que iriam para os incineradores e aterros. Acrescente-se a isso o fato de que a EPA reconheceu a compostagem como método de controle de poluição de fonte difusa. Nesse contexto, o uso de composto orgânico ajuda a prevenir a poluição de rios e lagos através da perda excessiva de nutrientes causada pela água da chuva.

O composto orgânico é o produto final relativamente estável da compostagem. Os termos “húmus” e “composto orgânico” são freqüentemente usados para designar o mesmo produto. O composto é rico em nutrientes e matéria orgânica e altamente benéfico ao solo e aos cultivos realizados nesse solo.

C. aclandiae

Anúncios